relacionamento

Começo do relacionamento

   Tudo começou em clube na Zona Norte do Rio de Janeiro. Eu fazia o curso de secretariado e ele dava aulas de jiu-jitsu. Uma amiga em comum fez a mediação e nos apresentou, na verdade, eu nem queria conhece-lo, pois já sabia das suas intenções. Ela pensando que iria mudar de ideia,  foi logo dizendo: ” amiga, da uma chance pra ele, quando conhecer você não vai se arrepender”. Imagina a situação, mas, relevei e fui vencida pelo cansaço rss. Cheguei pra minha amiga e disse, combina certinho, a gente sai, come alguma coisa e joga conversa fora. Marcamos de sair uma turminha bem legal, me animei bastante rss

   Em fim chegou sexta-feira, me arrumei e fui pro curso, quando terminou a aula, nos reunimos até chegar todo mundo pra sairmos juntos. Conversa vai, conversa vem e ele chegou, todo mundo fui embora, não entendi nada, e a nossa saída? Cada um inventou uma desculpa e foram embora, ficou só nos dois e outras duas amigas. A vontade passou, queria ir embora também, até que uma delas disse no pé do meu ouvido: ” Se você não quiser ir, eu vou”, Ops! fui na mesma hora rss. Fomos ao Shopping, aproveitei e fiz umas comprinhas pra minha mãe e as crianças (Eu já tinha dois filhos de relacionamentos anteriores, Maria que na época tinha 8 anos e Herik  de dois anos e meio), e só de sacanagem, entrei em todas as lojas pra testa-lo. Ele não reclamou, acredita? ajudou a escolher tudo, indicava outras lojas, … Me encantei!  me senti mais a vontade, conversamos sobre vários assuntos, principalmente artes marciais. Realmente, gostei dele, educado, simpático, assuntos interessantes, … Realmente, valeu a pena. Ele me acompanhou até em casa e já foi conhecendo a família toda (minha mãe, meu pai e meus filhos), parecia de casa, conhecido de muito tempo. Ele foi embora e aconteceu o primeiro beijo, na semana seguinte já estávamos namorando e três meses depois, estamos morando junto. Simples assim!

Gestação

Mãe aos 14 anos

    Sim, aos 14 anos descobri que estava grávida, e ao contrário do que todos pensam no primeiro momento, não foi algo que “aconteceu”, pelo contrário, eu estava certo que queria ser mãe, o motivo, era pra ter a minha tão sonhada liberdade. E ela veio? De certa forma sim, e junto com uma liberdade e responsabilidade. Fiquei muito feliz, via tudo como uma grande “brincadeira de casinha”. Eu estudava, estava no último ano de ginásio, e foto de estar grávida, não me fez para estudar, sabia que eu era superar. Lembro como se fosse hoje, cada momento. Não foi fácil, muito muito familiar, ou o apoio já está em fase final da gestação (como acontece na maioria dos casos).Tinha uma coisa, que eu sonhava todos os dias, era com o meu dia de princesa, e esse dia chegou, mas eu quero que trocar esse sonho de baile de debutante para uma festa de chá de bebê, se eu fiquei triste? Lógico, afinal, sonhei tanto com esse dia, e quando ele chegou, não pude realizar o meu sonho, mas, eu conformei pois, escolhi ser mãe, sEu escolhi, em alguns casos, uma maternidade e uma questão de escolha. Ao engravidar, acreditado que estava localizado no encontro da minha liberdade. Me sentia muito presa, não podido sair sozinha, horário pra estar em casa, … Entre outras coisas, nos quando jovens, não entendemos. Fui morar com meu namorado, assim como minha filha nasceu, isso mesmo, era uma menina, e depositei nela, tudo que sonhei pra mim e tudo que “sonharam” pra mim. Em fim, chegou o grande dia, o nascimento da Maria, mesmo nome da mãe de Jesus. E esse foi o momento mais feliz da minha vida, não estou arrependo por escolha e se voltasse o tempo, sem nada absolutamente nada. 

          Screenshot_20171001-165909