Mais viagens e menos brinquedos

Ilha Grande /Angra dos Reis – Rj

Menos brinquedos e mais viagens! Hoje vim compartilhar um pouco da nossa viagem á Ilha Grande. Quem me acompanha no blog e em outras redes sociais, sabe bem que meu hobby favorito é viajar em família.

A Ilha Grande é a maior ilha do estado do Rio de Janeiro e a quinta maior ilha marítima do Brasil, A ilha faz parte do município de Angra dos Reis e  possui uma área de 193km².

A principal parada na ilha é na Vila do Abraão, que tem mais ou nenos  3.000 habitantes. A Vila do Abraão é bem estruturada como posto de saúde ( pra quem viaja com criança é super importante), Mercadinhos, restaurantes, barzinhos, farmácia, lojas de roupas e calçados ( tem até a loja da Havaianas ), delegacia da polícia militar, escola, correios, coleta de lixo, … Quase tudo que encontramos na cidade, encontramos na Ilha .

Só tem uma forma de chegar na Ilha, pelo mar, sendo assim, quem tem medo de andar de barco, pode descartar esse passeio. Tem barcos todos os dias, com destino a Vila do Abraão, saindo de Angra dos Reis, Conceição de Jacaraí e Mangaratiba ( pra quem vai pelo Rio de Janeiro ). A Ilha recebe muitos turistas de toda parte do mundo, é muito comum cruzarmos com alguém falando espanhol ou inglês. Em alta temporada, começam a chegar os cruzeiros vindo principalmente da argentina.

A vila tem muitas pousadas e campings. Sou uma frequentadora da Ilha e geralmente, ficamos hospedados em camping, só nas 2 últimas vezes que fiquei em uma casa (alugada) e a última ficamos em pousada, muito boa por sinal.

Viajamos com o tempo muito fechado, quase não deu para aproveitar nada, os passeios de barco, são cancelados por conta do mal tempo. Nossa intenção, era percorrer pelo menos umas 3 ou 4 ilhas, mas, fica para próxima vez. Mesmo com tudo isso, as crianças se divertiram bastante, até o Heithor que não gosta muito de banho de mar, não resistiu, Miguel é um peixinho, entra na água independente do clima. Deu pra aproveitar bastante, consegui descansar. A pousada que ficamos foi a Mar azul, próxima a estação de desembarque.

No meu canal no Youtube, postei 4 vídeos de como foram nossos dias em Ilha Grande. Vai lá conferir.

Parte 1 – https://www.youtube.com/watch?v=yS6gpKj2EDM

Parte 2 – https://www.youtube.com/watch?v=vViS68OHiM8

Parte 3 – https://www.youtube.com/watch?v=IhByGReol_w

Parte 4 – https://www.youtube.com/watch?v=LpKAkEzJYS0

 

maternidade

Mãe de menina

Ser mãe não é tarefa nada fácil, principalmente ao longo dos anos. Quando nós descobrimos mãe, idealizamos muitas coisa: o sexo, o nome, com quem vai parecer, se vai gostar disso ou daquilo, … Mas, quando eles nascem, vemos que nada é como sonhamos ou planejamos. Isso não significa que seja ruim, mas, é bom sermos surpreendida ao logo do caminho. Seria chato de mais se acontecesse tudo como o planejado, qual seria a graça de ser mãe se não houvesse essas pedras nos caminho?

Como já havia comentado em outro post, que engravidei aos 14 anos, completei 15 anos no meu 5˚ mês de gestação. Quando descobri o sexo fiquei um pouco frustrada, confesso rss Sempre me imaginei mãe de menino, estava na expectativa do Renan (esse seria o nome, caso fosse menino), até que na ultra tive a certeza de ser uma menina. Fiquei feliz sim, mas, no primeiro momento eu tinha certeza que estava errado, por sempre ouvir falar que “enstindo de mãe não falha”, isso é mito, fui descobrir depois.

Escolhi o nome (sim, eu que escolhi o nome, embora hoje, todos dizem que escolheram, rss), tive a ajuda de todos para chegar ao nome final, a única coisa que era certo é que se chamaria Maria, como Nossa Senhora, e fiquei na dúvida do complemento, e finalmente decidimos por Eduarda, sendo assim, Maria Eduarda.

Não tive dificuldades com fraldas, acordar na madrugada, … Já sabia o que me esperava. O ruim é quando eles vão crescendo e não temos como parar o tempo. Hoje ele tem 15 anos, os mesmos 15 anos que tinha quando ela nasceu. Passa um filme na minha cabeça, olho para trás e vejo como tempo passou.